Plataforma para o desenvolvimento da Intercompreensão em Línguas românicas. Manual do Utilizador. Projecto Sócrates/LINGUA acção 2


Autores: ANDRADE, A. I., ARAUJO e Sá, M. H., LÓPEZ ALONSO, C., MELO, S. & SERÉ, A.

Título de la Contribución: Plataforma para o desenvolvimento da Intercompreensão em Línguas românicas. Manual do Utilizador. Projecto Sócrates/LINGUA acção 2

Año: 2005

Url: http://www.galanet.be

Palabras Clave: Noção de Intercompreensão, Intercompreensão em linguas românicas, didáctica da intercompreensão, formação para a intercompreensão

Resumen:
Neste texto, tenta-se definir a noção de intercompreensão e identificar alguns princípios didácticos que subjazem ao seu tratamento didáctico, argumentando a favor da sua utilidade em Didáctica de Línguas, Numa primeira parte, apresenta-se o conceito e tenta-se defini-lo no quadro de uma Didáctica de Línguas preocupada com o plurilinguismo e a interculturalidade, quer a partir de textos teóricos, quer a partir das palavras de aprendentes de línguas, entrevistados sobre os seus processos de aprendizagem de outras línguas. Numa segunda parte, apresentam-se os princípios de uma didáctica da intercompreensão, exemplificando-os com as palavras de aprendentes de línguas que reflectem sobre as suas estratégias de tratamento da linguagem verbal, mais especificamente sobre o contacto com novas línguas. Identificam-se como princípios didácticos para o tratamento da intercompreensão: o desenvolvimento da curiosidade e do respeito pelo doutro, diferente linguística e culturalmente; o desenvolvimento da capacidade de tornar transparentes e de dar sentido a novos dados verbais; o desenvolvimento da flexibilidade linguístico-comunicativa e cognitiva. O texto conclui sobre a necessidade de se construírem programas de formação de professores para a intercompreensão, tomando em consideração osperfis linguístico-comunicativos dos sujeitos e levando-os a inserirem no seu repertório didáctico estratégias de mobilização dos conhecimentos dos aprendentes, num processo de motivação para a descoberta de novos dados verbais e de novas línguas.